Riscos de longo prazo para doenças cardiovasculares estratificados pelo Nível de Glicose em Jejum

Doenças cardiovasculares (CVD em inglês) se referem a qualquer doença do coração, doença vascular no cérebro ou doenças dos vasos sanguíneos. As doenças cardiovasculares mais comuns incluem as doenças da coronária do coração (CHD em inglês) como ataque do coração ou doenças cerebrovasculares como o derrame.

Adultos de meia idade que tiveram um aumento no nível de glicose em jejum para valores que os classificariam como diabéticos tem um risco de 30 anos maior para doenças da coronária do coração e derrames que os de seus pares com níveis normais de glicose sanguínea. Também foi relatado um aumento no risco de longo prazo para doenças cardiovasculares em homens de meia idade com níveis de glicose em jejum no espectro de pré-diabetes.

Cientistas da Universidade de Medicina de Wake Forest (Winston-Salem, NC, USA) e seus colegas reuniram dados de sete grupos de observação que incluíram adultos brancos e negros. Eles estimaram o risco de longo prazo para CVDs baseados nos níveis de glicose em jejum tanto para valores acima como abaixo do patamar da diabetes (7 mmol/Ç ou 126 mg/dL). Combinados, os sete grupos acompanharam os participantes entre 1960 e 2015. Um total de 19.630 pessoas (56,1% mulheres, 31,6% negros) com uma idade média de 55 anos foram incluídos no levantamento. A equipe de pesquisadores criou cinco estratificações para os níveis de glicose em jejum: menos de 5 mmol/L, entre 5 mmol/L e 5.5 mmol/L, entre 5.6 mmol/L e 6.2 mmol/L, entre 6.3 mmol/L e 6.9 mmol/L (pré-diabetes) e mais de 7 mmol/L (diabetes). As CVDs objeto do estudo foram as CHDs, infartos do miocárdio e derrames fatais e não-fatais.

Os investigadores relataram que o risco de CVDs em pessoas ao redor dos 85 anos foi de 15.3% (<5.0 mmol/L) para 38.6% (pessoas com glicose em nível de diabetes) entre as mulheres e de 21.5% (5.0–5.5 mmol/L) para 47.7% (pessoas com glicose em nível de diabetes) entre homens. Uma dosagem de glicose em jejum (FG) de 6.3 a 6.9 mmol/L foi associada com riscos de longo prazo de CVD maiores quando comparados com níveis de FG mais baixos em homens, mas não em mulheres. O aumento dos níveis de glicose durante a vida que podem resultar em diabetes foram associados a riscos cardiovasculares maiores (entre 1,3 a 3,6 vezes mais) em relação a um crescimento nos níveis de glicose ainda inferior aos 7 mmol/L (diabetes).

Michael P. Bancks, PhD, professor assistente de Endocrinologia e coordenador do estudo, disse que ele mostra a importância de se prevenir ou atrasar o desenvolvimento da diabetes para evitar doenças cardiovasculares. Devido ao estudo ter incluído um grande número de afroamericanos e de ter uma abrangência geográfica ampla, o professor acredita que ele pode ser generalizado e atender uma audiência mais ampla nos Estados Unidos. O estudo foi publicado na edição de Janeiro de 2019 do jornal Diabetes Care.

* Tradução da matéria publicada no site Labmedica em 31 de janeiro de 2019. O texto original pode ser lido aqui.

Deixe um comentário